Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Enfermeiras riem enquanto doente agonia até morrer

Câmara oculta registou o momento que aconteceu nos EUA.
28 de Novembro de 2017 às 21:50
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia
enfermeiros, doente, agonia, morte, EUA, Atlanta, Georgia

Um veterano da Segunda Guerra Mundial morreu em agonia depois de pedir ajuda por seis vezes às enfermeiras que o deveriam auxiliar enquanto estas se riam à sua volta. O momento foi registado por uma câmara escondida no quarto do idoso, no Centro de Saúde e Reabilitação de Atlanta, nos EUA, e agora mostrado em tribunal.

De acordo com o USA Today, James Dempsey, de 89 anos, morreu no dia 27 de fevereiro de 2014, depois de pedir ajuda às profissionais por não conseguir respirar. As enfermeiras ignoraram os pedidos e o idoso acabou por agonizar até ficar inconsciente.

Agora, no tribunal da Georgia, Wanda Nuckles, a responsável presente no centro no dia em que James morreu, garantiu que mal recebeu o alerta foi ao quarto imediatamente e que o idoso já não respirava. Contudo, os advogados confrontaram-na com as imagens que tinham sido registadas, sem a sua autorização, que mostram a emfermeira a rir-se sem prestar o ajuda ao homem.

Nas imagens ouve-se ainda o idoso a pedir ajuda. "Ajudem-me, ajudem-me, ajudem-me. Não consigo respirar", gritou o James Dempsey, sem receber qualquer tipo de apoio. Oito minutos depois, entrou uma das enfermeiras no quarto que limitou-se a olhar os aparelhos de ventilação e a desligar o sinal de emergência acabando por sair da divisão. O homem ficou sozinho durante mais de uma hora.

Quando as enfermeiras voltaram ao quarto, o homem já estava inconsciente, mas nem assim prestaram ajuda. Passada mais uma hora, Wanda e outra enfermeira voltaram e decidiram iniciar as manobras de reanimação enquanto riam. O homem acabou por morrer.

O Centro de Saúde e Reabilitação de Atlanta foi agora obrigado a pagar uma multa de mais de 800 mil euros à família da vítima e as enfermeiras em questão perderam licença que lhes permitia trabalhar.

enfermeiros doente agonia morte EUA Atlanta Georgia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)