Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

ENGRAVIDAVAM PARA TRAFICAR ÓRGÃOS

A Polícia italiana prendeu quatro ucranianos alegadamente envolvidos numa rede internacional de tráfico de órgãos de recém-nascidos.O esquema consistia num grupo de mulheres que ficavam grávidas para vender os filhos, assim que estes nascessem, a pessoas interessadas no aproveitamento dos seus órgãos.
13 de Maio de 2003 às 00:00
Em duas operações desenvolvidas nas cidades italianas de Bari e Napóles, as autoridades detiveram um homem e três mulheres, incluindo uma mãe que tentou vender o seu bebé recém-nascido, por 50 mil euros, a um polícia.
“Um agente disfarçado, que a mãe pensava estar interessado em comprar o bebé, perguntou vezes sem conta se ela queria voltar atrás no negócio. Mas a resposta foi sempre ‘não’”, revelou o investigador Gianrico Carofiglio.
Segundo as autoridades, o cordão umbilical da criança foi cortado na perfeição, apesar da intervenção ter sido realizada com uma simples faca de cozinha, o que significa que o grupo poderá ter experiência neste ‘negócio’.
As três mulheres, que foram inicialmente trabalhar como prostitutas para Itália, terão entrado no esquema voluntariamente.
A Polícia revelou que já estava no encalce destes indivíduos há vários meses, na sequência de uma suspeita de envolvimento numa rede de tráfico de pessoas e droga.
Vários italianos estão já a ser investigados por terem manifestado interesse em comprar o bebé por causa dos seus órgãos e a Polícia está ainda a apurar a possibilidade de terem sido vendidas mais crianças.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)