Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Escândalo de corrupção apanha mais vereadores

A segunda fase da ‘Operação Malaya’, dedicada ao escândalo de corrupção em Marbella (Málaga), já rendeu 30 novas detenções em vários pontos de Espanha.
28 de Junho de 2006 às 00:00
Entre os detidos na sequência da operação policial, que teve início em finais do passado mês de Março, estão treze ex-vereadores do município de Marbella e ainda mais de uma dezena de construtores. Não se excluía ontem a possibilidade de mais detenções. Recorde-se que na primeira fase foi detida a presidente da Câmara de Marbella, MarisolYague.
As detenções foram efectuadas nas cidades de Málaga, Granada, Córdova, Sevilha, Madrid e Pamplona, tendo estado envolvidos na operação mais de 300 agentes da Polícia espanhola. Entre os suspeitos, acusados dos delitos de suborno e prevaricação, figura o ex-secretário municipal do município de Marbella, Leopoldo Barrantes. A sua detenção ocorreu a 29 de Março na sequência da primeira fase da operação, mas a 1 de Abril foi libertado, após ter sido acusado dos delitos de prevaricação e tráfico de influências.
Nesta segunda fase da ‘Operação Malaya’, foi igualmente detido o ex-chefe da Polícia de Marbella, Rafael del Pozo, que já estava acusado dos delitos de encobrimento, omissão do dever de perseguir delitos, tráfico de influências e posse ilícita de armas. Quanto aos ex-vereadores, foram quase detidos em Marbella, à excepção de um deles, capturado em Mijas.
DESTACADOS EMPRESÁRIOS
Refira-se que entre os detidos na sequência da ‘Operação Malaya’ estão ainda quatro outros suspeitos ligados à edilidade de Marbella e 13 construtores. Saliente-se igualmente que o mediático escândalo de corrupção de Marbella envolveu importantes empresários da construção em Andaluzia. Entre eles, encontram-se Gómez Sánchez, proprietário de uma conhecida empresa do ramo, e Avila Rojas, dono de um dos maiores grupos de construção e de promoção imobiliária da Andaluzia. Este construtor é acusado do delito de suborno, alegadamente cometido através da sua actividade imobiliária na Costa do Sol de Málaga. Saliente-se ainda que um dos principais suspeitos detidos é Rafael Gómez, relacionado com as áreas da joalharia e , também, das promoções imobiliárias.
Recorde-se que, durante a primeira fase da ‘Operação Malaya’, que ocorreu no final do passado mês de Março – depois de seis meses de investigações – foram detidas 29 pessoas, nas cidades de Marbella, Madrid e Múrcia. Entre as principais figuras então detidas estão o alegado ‘cérebro’ da rede de corrupção, o ex--assessor para o Urbanismo do município de Marbella, Juan Antonio Roca, presidente da Câmara de Marbella, Marisol Yagüe e a sua colaboradora mais directa, Isabel García Marcos.
As implicações foram de tal ordem que a descoberta do escândalo de corrupção conduziu à dissolução da Câmara de Marbella, que no passado dia 21 de Abril passou a ser administrada por uma comissão de gestão. O organismo deverá ficar em funções até à realização das próximas eleições, agendadas para Maio do próximo ano.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)