Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Escândalo sexual leva candidato de Macron a renunciar à Câmara de Paris

Vídeos de relação extraconjugal de Benjamim Griveaux foram colocados na internet.
Inês Neto e Daniela Vilar Santos 15 de Fevereiro de 2020 às 01:30
Benjamin Griveaux era candidato do partido República em Marcha, do presidente francês Emmanuel Macron
Benjamin Griveaux era candidato do partido República em Marcha, do presidente francês Emmanuel Macron FOTO: LUSA/ETIENNE LAURENT
A apenas um mês das eleições municipais francesas, o candidato do partido presidencial, Benjamin Griveaux, abandonou ontem a corrida à Câmara de Paris. A decisão foi anunciada depois de terem sido divulgados vídeos com conteúdo sexual na internet, onde se via o candidato - e deputado francês - numa relação extraconjugal.

"A minha família não merece isto. Ninguém devia ser alvo de tanta violência", disse Benjamin Griveaux. O agora ex-candidato refere-se a mensagens e vídeos divulgados no site Porno Politique, onde se pode ler o nome Benjamin Griveaux como autor das mensagens e dos vídeos enviados a uma mulher. O deputado não negou ser o autor dos conteúdos partilhados no site, mas apesar de ter condenado a divulgação dos mesmos. "Esta decisão custa-me, mas as minhas prioridades são muito claras. Primeiro vem a minha família", afirmou o ex-candidato do partido do presidente francês, Emmanuel Macron.

O artista russo Piotr Pavlenski admitiu ter colocado os vídeos e as mensagens na internet para "denunciar a hipocrisia" do candidato. "É alguém que defende insistentemente os valores da família, que diz que queria ser o candidato das famílias, mas faz o contrário", reforçou o artista. O partido de Macron, República em Marcha, realizou ontem uma primeira reunião e, ao que tudo indica, a sucessora de Griveaux será uma mulher, apesar de o nome ainda não estar definido.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)