Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Escudo humano evita bombardeamento israelita

Numa acção absolutamente inédita, o Exército israelita cancelou um bombardeamento aéreo contra a casa de um activista islâmico, Wael Baroud, depois de 250 pessoas terem formado um ‘escudo humano’ à volta da habitação.
20 de Novembro de 2006 às 00:00
Os palestinianos concentraram-se à volta da casa em Beit Lahia, na Faixa de Gaza, depois do proprietário ter sido advertido pelo próprio Exército israelita de que a mesma ia ser destruída. Baroud, alegado membro dos Comités de Resistência Popular – uma das três organizações que reivindicaram o rapto de um soldado israelita – foi informado de que deveria abandonar de imediato a habitação.
O activista não perdeu tempo e ‘passou a palavra’ a familiares e vizinhos. Pouco depois, centenas de palestinianos entraram no quintal da casa e grande parte deles, incluindo dezenas de mulheres, subiram para o terraço, gritando palavras de ordem contra os EUA e afirmando estarem dispostos a sacrificar as suas vidas. Israel desistiu então do bombardeamento. Segundo fontes palestinianas, o plano para formar o ‘escudo humano’ partiu de um alto responsável do Hamas, Nizar Rayan.
Apesar de ter abortado aquele ataque, o Exército de Telavive levou a cabo um outro na Faixa de Gaza, contra uma viatura, onde viajavam dois presumíveis militantes do Hamas. Do ataque resultou a morte de uma pessoa mas os militantes saíram ilesos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)