Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Estado Islâmico vende escravas a combatentes na Síria

Mulheres são "exploradas sexualmente".
8 de Novembro de 2015 às 21:33
Estado Islâmico vende mulheres como escravas
Estado Islâmico vende mulheres como escravas FOTO: Reuters

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) vendeu várias prisioneiras de guerra não muçulmanas "como escravas" aos seus combatentes feridos ou mutilados no nordeste da Síria, denunciou este domingo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

O diretor do OSDH, Rami Abderrahman, explicou que estas mulheres são "exploradas sexualmente", além de efetuarem trabalhos domésticos e ajudarem os combatentes.

A organização não-governamental (ONG) acrescentou que o EI decidiu vender as escravas por as famílias das populações locais não autorizarem casamentos das suas filhas com 'jihadistas' feridos em combate.

O OSDH, com sede em Londres e uma ampla rede de ativistas na Síria, obteve testemunhos sobre as escravas na periferia da zona leste de Deir al Zur, capital da província homónima, sob controlo do EI.

A ONG explicou que a venda de mulheres capturadas pelo EI, na Síria e no Iraque, é um negócio muito lucrativo para os dirigentes e membros do grupo 'jihadista'.

Estado Islâmico Síria distúrbios guerras e conflitos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)