Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Estátua que marcou o fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento "#MeToo"

Crime aconteceu um dia depois da morte do marinheiro lusodescendente protagonista da fotografia que virou estátua.
20 de Fevereiro de 2019 às 10:45
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Estátua do fim da Segunda Guerra vandalizada por feministas do movimento '#MeToo'
Um dia depois da morte do marinheiro lusodescendente, George Mendonsa, protagonista da fotografia icónica do beijo em Times Square, um dos símbolos do fim da II Guerra Mundial, a estátua erguida em homenagem ao momento foi vandalizada por feministas apoiantes do movimento "#MeToo".

A vandalização da estátua que foi erguida em Sarasota, no estado da Flórida, nos Estados Unidos, obrigou a ações de limpeza que custaram cerca de 883 euros.

A estátua representa a imagem de um militar a beijar uma enfermeira após ter sido anunciado o fim da Segunda Guerra Mundial que vitimou milhares de pessoas, captada pelo fotojornalista Alfred Eisenstaedt para a revista Life em 1945.

Foi usado spray vermelho para vandalizar a estátua. "#MeToo" podia ler-se na perna da enfermeira Greta Zimmer Friedman.

Para muitas feministas, a estátua representa o ato de aproveitamento e agressão sexual. Tendo o militar beijado a enfermeira sem consentimento.

Em 2005 a enfermeira disse numa entrevista que o beijo não aconteceu com o seu consentimento. O militar Mendonsa aproveitou-se do momento e agarrou-a para a beijar.

No entanto a mulher percebeu que foi um ato espontâneo por causa do momento marcante para os militares americanos.

As imagens da vandalização foram partilhadas pela polícia de Sarasota nos Estados Unidos. A pintura foi entretanto limpa.





Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)