Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

ESTRANGULADA EM FESTA

Rosie May Storrie tinha apenas dez anos. Foi com os seus pais a uma habitual festa de Natal. Acabou por ser assassinada, por estrangulamento, em circunstâncias ainda por apurar. O alegado homicida, um jovem adolescente de 17 anos, foi presente a tribunal na passada sexta-feira.
4 de Janeiro de 2004 às 00:00
O hediondo crime aconteceu numa festa de Natal, há uma semana, em Leicestershire, Inglaterra, em casa de Ian e Sharon Smith, tios do presumível assassino. A vítima chegou acompanhada dos seus pais, Graham e Mary, e dos seus irmãos, Luke, de 16 anos, e Laurence, de 13. Enquanto os adultos se divertiam no piso térreo da habitação, entre cerca de 60 convivas, os mais jovens, incluindo Rosie, foram para diferentes quartos no andar de cima.
Segundo testemunhas, Rosie foi vista a correr, enquanto subia as escadas para o piso superior, levando consigo uma lata de cerveja Guiness. Por volta das 21h00, a menina foi vista pela última vez na companhia de um dos irmãos.
Vinte minutos depois foi encontrada, já inconsciente, por uma outra menina. Rosie estava deitada numa cama, de cabeça para baixo, apresentando marcas de dedos em redor da garganta. Foi transportada imediatamente para o hospital, onde morreu.
A Polícia começou por interrogar quase todos os convidados e acabou por prender o sobrinho dos anfitriões, Paul James Smith, de apenas 17 anos.
SUSPEITO NEGA CRIME
A causa do óbito foi atribuída a asfixia por estrangulamento mas o jovem Paul James, que completa os 18 anos esta semana, foi imediatamente acusado do crime, tendo sido presente a tribunal na passada sexta-feira.
O adolescente, que nega a autoria do homicídio,voltará a ser ouvido na próxima sexta-feira. Paul sofre da síndroma de Asperger, uma forma leve de autismo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)