Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Estudante agredido por polícia em protesto anti-Temer em estado grave

Uma pessoa morreu durante a Greve Geral de sexta-feira.
29 de Abril de 2017 às 17:40
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
Greve Geral do Brasil cortou estradas
O estudante Mateus Ferreira da Silva, de 33 anos, agredido com um brutal golpe de cassetete na cabeça por um polícia em Goiânia, capital do estado brasileiro de Goiás, durante manifestação de apoio à greve geral ocorrida esta sexta-feira no Brasil, estava ao início da tarde deste sábado em estado muito grave.

O agente da Polícia Militar que desferiu o brutal golpe na cabeça de Mateus correu para perto de outros polícias após a agressão para se proteger e não prestou socorro ao estudante que caiu imediatamente ao solo já inconsciente e foi socorrido por outros manifestantes.

De acordo com um boletim médico divulgado este sábado pelo Hospital de Urgências de Goiânia, HUGO, Mateus está internado em estado grave numa UTI, Unidade de Terapia Intensiva. Ele sofreu, ainda de acordo com o relatório médico, um traumatismo cranioencefálico e múltiplas fraturas no rosto tal a violência do impacto desferido pelo agente que em nenhum momento tentou dominar Mateus de outra forma menos violenta.

O estudante, que estuda no terceiro ano de Ciências Sociais estava, até ao início da tarde deste sábado, pelo horário brasileiro, meio da tarde em Lisboa, acompanhado por colegas da Universidade Federal de Goiânia, onde estuda. A família, que é de Osasco, cidade vizinha a São Paulo, era esperada para o final da tarde ou início da noite.

Além de Mateus, outros manifestantes foram feridos com menor gravidade durante os confrontos que envolveram a polícia e mascarados que se infiltraram na manifestação, até aí pacífica, e começaram a atirar pedras e depois foguetes contra os agentes, e muita gente que não tinha nada a ver com as agressões à polícia acabou por ser atingida.

A Universidade Federal de Goiânia repudiou em comunicado a violência desproporcional usada pelos agentes para responder aos ataques e exigiu que o polícia que agrediu Mateus seja identificado e punido exemplarmente.

Durante a greve geral desta sexta-feira, convocada por centrais sindicais e movimentos sociais contra o governo do presidente Michel Temer e as propostas de revisão das leis laborais e da segurança social, que, segundo os sindicalistas, retiram diversos direitos aos trabalhadores, houve muita violência também em outras cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Niterói, Jacareí, Recife, Porto Alegre, Santos e, em maior ou menor escala, um pouco por todo o país.

A polícia diz que teve de usar a força para desobstruir vias bloqueadas por manifestantes ou responder a agressões, enquanto os promotores do movimento grevista alegam que a polícia na maior parte das vezes foi quem começou o confronto, que terá provocado para o governo alegar que o movimento grevista foi violento.

Além de feridos um pouco por todo o lado, houve pelo menos uma morte durante a greve geral. Um motorista, irritado por uma manifestação anti-Temer bloquear o seu caminho na cidade de Recife, capital do estado de Pernambuco, acelerou pela contramão e acabou por atingir e matar um motociclista.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)