Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

ETA desmantela aparelho político

A organização Ekin, considerada o aparelho político da ETA, anunciou ontem a sua dissolução. A notícia foi recebida com cautela pelo governo espanhol e com cepticismo pela polícia. As autoridades alertam para o que pode ser uma manobra destinada a esconder a reorganização do debilitado aparelho político do grupo terrorista basco.
2 de Outubro de 2011 às 01:00
A ETA declarou um cessar-fogo permanente em 2010 mas não anunciou ainda o fim da luta armada
A ETA declarou um cessar-fogo permanente em 2010 mas não anunciou ainda o fim da luta armada FOTO: direitos reservados

Em declarações ao jornal ‘Gara’, dois responsáveis da Ekin asseguraram que a decisão "é sincera e coerente", tendo resultado de um processo de debate interno encetado na Primavera.

O jornal afirma que a dissolução vem na linha de continuidade da nova estratégia política adoptada pelos partidos da esquerda separatista basca.

Com cautela, José Blanco, ministro do Fomento e porta-voz do governo socialista espanhol, saudou o anúncio, considerando-o "um passo mais" em direcção ao fim da ETA, e explicou: "O passo definitivo, o que desejamos e esperamos, é que o grupo terrorista deixe as armas para sempre."

Entretanto, fontes da luta antiterrorista referiram a possibilidade de tudo não passar de "uma manobra de diversão". A Ekin estava já desmantelada, afirmam, lembrando as condenações, em 2007, de 46 membros da Ekin e da Kas (a sua antecessora), às quais se seguiu a captura e condenação de mais nove líderes da organização em 2010.

Refira-se que a Ekin nasceu em 1999, um ano após a ilegalização da Kas, resultado das investigações à ETA lideradas pelo juiz Baltasar Garzón.

eta espanha política ekin
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)