Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

EUA APERTAM CERCO

Após uma jornada de avanços e recuos, o império da violência voltou ontem a Najaf, com helicópteros e aviões dos EUA a bombardearem posições das milícias xiitas enquanto tanques 'Bradley', alvejados por 'snipers' iraquianos, se fixaram em posições a apenas 800 metros da mesquita do imã Ali, refúgio do líder radical xiita Moqtada al-Sadr.
23 de Agosto de 2004 às 00:00
As milícias radicais xiitas não arredam pé e mantêm uma atitude de desafio perante as tropas americanas
As milícias radicais xiitas não arredam pé e mantêm uma atitude de desafio perante as tropas americanas FOTO: Atef Hassan/Reuters
Depois de ao início da manhã um avião AC-130 disparar sobre posições das milícias, helicópteros iniciaram uma ofensiva que serviu de apoio ao avanço dos blindados pelo intrincado labirinto de ruas de Najaf.
Segundo testemunhas, os tanques nunca estiveram tão perto da mesquita nas três semanas de confrontos, mas para lá chegar tiveram de enfrentar uma barragem de fogo de armas ligeiras e morteiros.
Não há números fiáveis quanto às baixas dos últimos combates, mas fontes governamentais iraquianas afirmam que nove pessoas morreram e 27 ficaram feridas até ao fim da manhã de ontem.
O ressurgir da violência aconteceu na noite de sábado, depois de fracassarem as negociações entre al-Sadr e enviados do ayatollah Ali Sistani, principal autoridade religiosa xiita no Iraque. Sadr exigiu que Sistani - hospitalizado em Londres, onde foi operado ao coração - forme uma comissão para fazer o inventário dos tesouros guardados no mausoléu de Ali. O objectivo é, segundo porta-vozes, evitar que acusações de saque sejam lançadas sobre os milicianos.
Os combates alastraram à vizinha Kufa, onde, segundo alguns, al-Sadr terá procurado refúgio e onde se assistia ontem a violentas trocas de tiros pelo segundo dia consecutivo. Estima-se que 40 iraquianos tenham sido abatidos nesta localidade nos recontros de sábado.
Entretanto em Baquba, a norte de Bagdad, um atentado suicida com carro-bomba matou duas pessoas e feriu pelo menos outras oito. Suspeita-se que o ataque visasse o vice-presidente da Câmara da cidade, que sofreu ferimentos ligeiros.
OUTROS DESENVOLVIMENTOS
APOIO MORAL
O ministro da Defesa polaco, Jerzy Szmajdzinski, fez ontem uma visita surpresa ao Iraque. Tudo porque esta semana três soldados polacos morreram em ataques sucessivos, elevando a 14 as baixas da Polónia. O ministro quis levar o “apoio moral” do governo às tropas.
RAPTADOS?
O governo francês revelou ontem que os jornalistas George Malbruno e Christian Chesnot estão desaparecidos desde quinta-feira. Teme-se que tenham sido raptados, como se suspeita tenha acontecido ao italiano Enzo Baldoni, cujo tradutor foi abatido em Najaf.
EMBOSCADA
Um trabalhador indonésio e dois iraquianos foram mortos numa emboscada em Mossul. A polícia afirma que um carro barrou a passagem dos trabalhadores, que estavam ao serviço de uma firma estrangeira. Os iraquianos mortos eram o condutor e um guarda-costas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)