Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

EUA admitem suspensão das negociações com a Rússia

Em causa estão o reinício das retaliações na Síria.
29 de Setembro de 2016 às 19:06
O secretário de Estado norte-americano, John Kerry
O secretário de Estado norte-americano, John Kerry FOTO: Mike Segar/Reuters
O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, afirmou hoje que Washington está na iminência de suspender as negociações com a Rússia sobre o conflito na Síria, na sequência do reinício das hostilidades na cidade de Alepo.

"Acho que estamos na iminência de suspender a discussão porque é irracional quando existem bombardeamentos deste género a acontecerem", disse hoje o chefe da diplomacia dos Estados Unidos, quando questionado sobre esta matéria.

Na quarta-feira, e durante uma conversa telefónica com o seu homólogo russo Serguei Lavrov, o secretário de Estado norte-americano já tinha avançado com o cenário da suspensão da cooperação bilateral caso Moscovo não colocasse um termo imediato à ofensiva contra Alepo, no norte da Síria.

"Ele informou o ministro dos Negócios Estrangeiros [russo] de que os Estados Unidos se preparam para suspender o compromisso bilateral na Síria, a menos que a Rússia dê passos imediatos para acabar com o assalto a Alepo e restaurar a cessação de hostilidades", disse na quarta-feira o porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby.

Na mesma ocasião, e de acordo com o porta-voz, Kerry disse a Lavrov que, se os ataques contra a segunda cidade síria não cessassem, os Estados Unidos iriam igualmente suspender o plano para criar uma célula militar conjunta para os ataques contra os 'jihadistas' na Síria.

A Rússia anunciou hoje que vai continuar com os bombardeamentos na Síria, apesar dos apelos dos Estados Unidos.

"Moscovo prossegue a sua operação aérea de apoio à luta antiterrorista das Forças Armadas sírias", disse aos jornalistas o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

"Tomámos infelizmente nota do caráter não construtivo da retórica de Washington nos últimos dias", acrescentou o mesmo representante.

Kerry e Lavrov lideram os esforços internacionais para pôr termo à guerra iniciada na Síria há cinco anos e a 09 de setembro chegaram a acordo para um cessar-fogo, ao abrigo do qual Moscovo devia obter do Presidente sírio, Bashar al-Assad, o fim dos bombardeamentos contra civis e Washington pressionar os rebeldes a distanciarem-se dos 'jihadistas'.

O cessar-fogo não perdurou, com acusações mútuas de responsabilidade.
Estados Unidos Rússia negociações Síria suspensão John Kerry Serguei Lavrov política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)