Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Ex-executivo da Venezuela encontrado morto após colaborar com as autoridades

Juan Márquez foi encontrado com sinais de enforcamento.
Rita F. Batista 25 de Julho de 2019 às 08:51
Juan Carlos Márquez comprometeu-se a colaborar na investigação
Juan Carlos Márquez comprometeu-se a colaborar na investigação FOTO: Direitos Reservados
Um dos antigos nomes fortes do grupo Petróleos de Venezuela (PDVSA) foi encontrado morto em Madrid no domingo, dois dias depois de ter prometido colaborar com as autoridades judiciais espanholas sobre o alegado envolvimento num esquema de lavagem de dinheiro com fundos provenientes da petrolífera.

Juan Carlos Márquez, que fazia parte do quadro do grupo PDVSA durante a presidência de Hugo Chávez, era uma peça essencial na investigação levada a cabo pelas autoridades espanholas sobre alegados esquemas de luvas e desvio de fundos.

O antigo executivo comprometeu-se a colaborar com o Ministério Público nas investigações depois de ter sido detido à chegada ao aeroporto de Madrid, vindo dos Estados Unidos. Ficou em liberdade condicional mediante o pagamento de uma caução com proibição de sair do país, e já tinha data marcada para ser ouvido de novo pelas autoridades.

Passadas algumas horas, os investigadores espanhóis receberam um telefonema alegadamente da Interpol e foram alertados que Márquez tinha apanhado um avião para Chicago. A polícia espanhola verificou a lista de passageiros e afinal não tinha embarcado.

Iniciaram-se de imediato as buscas e Juan Carlos Márquez acabaria por vir a ser encontrado morto com sinais de enforcamento.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)