Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Ex-presidente da Yukos condenado

O magnata Mikhail Khodorkovsky, fundador e ex-presidente da petrolífera russa Yukos, e o seu braço-direito, Platon Lebedev, foram condenados esta terça-feira a uma pena de nove anos de prisão, depois de terem sido considerados culpados da prática de vários crimes económicos, nomeadamente evasão e fuga fiscais.
31 de Maio de 2005 às 10:39
Mikhail Khodorkovsky
Mikhail Khodorkovsky FOTO: Reuters
O ex-presidente da Yukos, que já foi considerado o homem mais rico da Rússia, foi considerado culpado pelo tribunal central de Moscovo, onde foi julgado, de ter cometido seis dos sete crimes de que foi acusado. A semana passada, havia sido retirada a acusação de falsificação de documentos públicos.
A sentença agora pronunciada considera Khodorkovsky e Lebedev culpados de delitos de roubo agravado, burla, apropriação indevida, fraude fiscal e evasão ao pagamento de impostos. Segundo o tribunal, o ex-presidente da Yukos, cuja fortuna caiu de 15 mil milhões para 2 mil milhões de dólares nos dois últimos anos, utilizou empresas fictícias para burlar o Estado.
A pena a aplicar a Khodorkovsky será calculada a partir de 25 de Outubro de 2003, data da sua detenção. Os advogados e familiares do ex-presidente da Yukos já classificaram como uma “farsa” a leitura da sentença, adiantando que vão apelar para o Tribunal dos Direitos Humanos de Estrasburgo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)