Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Executivo pediu desculpa a vítimas

Revolta já causou pelo menos dois mortos, incluindo um jovem manifestante de 22 anos, alegadamente atingido a tiro na cabeça, no sul do país
5 de Junho de 2013 às 01:00

Pelo quinto dia consecutivo, violentos protestos antigovernamentais eclodiram um pouco por toda a Turquia e os confrontos com as autoridades policiais foram de novo a nota dominante, quando fontes não oficiais deram conta da segunda vítima mortal desde o início da revolta. Numa clara tentativa para apaziguar os ânimos, o vice-primeiro-ministro, Bulent Arinç, pediu desculpa aos manifestantes feridos.

"O uso excessivo da força contra as pessoas que iniciaram este protesto por motivos ambientais é um erro. Foi injusto. Por isso, peço desculpa [aos que foram vítimas da violência]", afirmou Arinç. Um pedido de desculpas que acabou por ter pouco impacto: horas antes foi divulgada a morte de um jovem, de 22 anos, que sucumbiu a ferimentos sofridos após ter sido atingido a tiro na cabeça durante uma manifestação, na segunda-feira, na província de Hatay, sul do país. No entanto, o relatório da autópsia não confirma que Abdullah Comert tenha sido morto por uma bala. Foi a segunda vítima mortal desde o início dos confrontos, depois de no domingo um outro jovem ter morrido quando um carro abalroou um grupo de manifestantes, em Istambul.

As manifestações, que começaram sexta-feira em Istambul, contra um projeto urbanístico e que rapidamente se transformaram em protestos antigovernamentais, começam a afetar a economia do país. "A lira turca desvalorizou face ao euro e a bolsa perdeu quase sete por cento num dia", afirmou João Xavier, de 42 anos, gestor português que vive em Istambul. *com agências

turquia executivo vítimas confrontos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)