Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Exército ataca cidade rebelde

Unidades blindadas do exército sírio iniciaram ontem um ataque de larga escala à cidade fronteiriça de Jisr al-Shughour. Com a aproximação das tropas aumentou o ritmo do êxodo para a Turquia, onde números oficiais dão conta de mais de três mil refugiados sírios.

11 de Junho de 2011 às 00:30
A repressão violenta não impediu milhares de sírios de saírem à rua em mais uma sexta-feira de luta contra o regime
A repressão violenta não impediu milhares de sírios de saírem à rua em mais uma sexta-feira de luta contra o regime FOTO: Umit Bektas/Reuters

Testemunhas afirmam que os disparos de metralhadora e artilharia pesada se fizeram ouvir à aproximação dos militares à cidade, onde ao longo da semana se terão refugiado algumas centenas de soldados que recusaram disparar sobre manifestantes anti-regime e se amotinaram.

O presidente Bashir al-Assad não admite a existência de deserções e afirma que a operação visa capturar "terroristas armados", alegadamente responsáveis pela morte de 120 soldados das Forças Armadas sírias.

A situação na Síria foi condenada pelo primeiro-ministro turco, Recep Tajip Erdogan, que fala de "atrocidade". Quanto ao êxodo para a Turquia, anunciou o estabelecimento de uma zona de contenção junto à fronteira mas promete continuar a apoiar os refugiados.

Entretanto, a repressão violenta que, desde 15 de Março, já custou a vida a mais de um milhar de civis sírios não impediu a realização, ontem, de novas manifestações contra os 41 anos de ditadura da família Assad.

Há notícia de pelo menos mais 28 mortos durante protestos no bairro de Qaboun, em Damasco, e também em Busra al-Harir, Latakia e Maarat al-Numan, onde helicópteros dispararam sobre a multidão, matando um número indeterminado de pessoas. Deraa, Hama, Homs e Aleppo são outras localidades onde a população saiu à rua para exigir liberdade e democracia.

KADHAFI MANDA MULHERES PARA A FRENTE DE BATALHA

O líder líbio, Muammar Kadhafi, enviou mais de um milhar de soldados para combater corpo a corpo os rebeldes na cidade de Misrata, no noroeste da Líbia. Segundo rebeldes internados na clínica de al Heikma, nas fileiras dos cerca de 1500 efectivos contam-se muitas mulheres. O combate directo na cidade acontece após semanas de cerco e bombardeamentos. Entretanto, Kadhafi assegurou que as suas tropas abateram já três helicópteros das forças da NATO, o último dos quais na quarta-feira, algo que a Aliança Atlântica desmente.

SÍRIA ATAQUE REBELDES EXÉRCITO LÍBIA KADHAFI
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)