Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Explosivos e armas em refúgio da ETA

A polícia francesa acabou ontem de revistar a casa de Cahors, sul de França, onde no dia anterior foram detidos quatro etarras. Entre o material encontrado destacam-se 350 quilos de explosivos, uma bomba-lapa e 30 detonadores. Foi ainda descoberto, na garagem da moradia, um carro armadilhado praticamente pronto para ser utilizado num atentado.
3 de Setembro de 2007 às 00:00
A Polícia apreendeu grande quantidade de explosivos, armas e munições no esconderijo da ETA no sul de França
A Polícia apreendeu grande quantidade de explosivos, armas e munições no esconderijo da ETA no sul de França FOTO: Txema Fernandez/Epa
Os quatro detidos, entre eles o máximo perito em explosivos da ETA, Ignacio Iruretagoyena, estiveram presentes durante as buscas no imóvel. Numa das casas de banho estava instalado um laboratório para fabrico de bombas artesanais, “com tudo o que é necessário para criar cargas explosivas que podiam provocar explosões enormes”, afirmou Jean-Michel Bourles, magistrado do Ministério Público francês.
Para além do laboratório, havia ainda na casa de Cahors (onde terão sido planeados e preparados os últimos atentados da ETA) uma espécie de cabina de plástico destinada a manipular amonal, explosivo de eleição do grupo terrorista basco, à base de nitrato de amónio e alumínio em pó.
As autoridades francesas apreenderam também armas, entre elas quatro pistolas, três metralhadoras e um lança-granadas artesanal, e ainda dois automóveis roubados em França.
Recorde-se que os últimos etarras capturados estão ligados aos atentados do aeroporto de Barajas, ao atentado falhado em Castellón e ainda ao abandono junto a Ayamonte de um carro, alugado em Portugal, com 150 quilos de explosivos.
AMEAÇA FECHA ESTRADAS
No que parece uma tentativa de resposta às detenções em França, a ETA alertou ontem para a colocação de cinco engenhos explosivos em várias estradas do País Basco e comunidades limítrofes, nesta altura muito movimentadas devido ao regresso de férias. No entanto, apenas uma bomba de escassa potência explodiu, sem causar vítimas ou danos, junto a Fuenmayor, na província de La Rioja.
O alerta – feito às 14 horas em nome dos terroristas bascos para a polícia de San Sebastián – motivou o encerramento preventivo de inúmeras estradas, entre elas a de ligação a Fuenmayor e a auto-estrada A-67, entre Santander e Torrelavega, cortada durante várias horas aos kms 181 e 183.
SAIBA MAIS
1964
É o ano em que a ETA decide que a luta armada é a melhor via para conseguir a independência do País Basco.
1983
É o ano que dá início à organização dos GAL, grupos de luta antiterrorista do Estado que usaram meios terroristas para tentar pôr fim ao terror da ETA.
LIBERTADO POR DEL OLMO
Ander Múgica, um dos quatro detidos em Cahors, tinha sido preso em 2002 e foi libertado sob fiança pelo juiz Juan del Olmo.
TRÉGUAS REPETIDAS
Ao longo da sua história, a ETA declarou cinco tréguas totais e outras tantas parciais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)