Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Falta de higiene ditou expulsão de Julian Assange: "Punha excrementos nas paredes"

Embaixador equatoriano no Reino Unido acusa o fundador da WikiLeaks de violar todas as normas de boa educação.
Francisco J. Gonçalves 14 de Abril de 2019 às 01:30
 Julian Assange detido em Londres
WC de Assange na embaixada do Equador
Assange acumulava loiça e restos de comida na cozinha
Julian Assange detido em Londres
 Julian Assange detido em Londres
Julian Assange
 Julian Assange detido em Londres
WC de Assange na embaixada do Equador
Assange acumulava loiça e restos de comida na cozinha
Julian Assange detido em Londres
 Julian Assange detido em Londres
Julian Assange
 Julian Assange detido em Londres
WC de Assange na embaixada do Equador
Assange acumulava loiça e restos de comida na cozinha
Julian Assange detido em Londres
 Julian Assange detido em Londres
Julian Assange
A expulsão de Julian Assange da embaixada do Equador terá sido causada pela falta de higiene e os abusos repetidos do fundador da WikiLeaks.

Numa altura em que o presidente do Equador, Lenín Moreno, está sob suspeita de ter cedido às pressões dos EUA para retirar o asilo a Assange, o embaixador equatoriano em Londres revela um lado da história bem mais prosaico.

Em declarações ao ‘The Daily Mail’, Jaime Marchan conta que a falta de educação e de limpeza de Assange levaram a tensão com o asilado a um ponto de rutura.

"Quando queria ser desagradável punha excrementos nas paredes e deixava roupa interior com excrementos no lavatório. Tínhamos de insistir com ele para despejar o autoclismo e para lavar a loiça", afirma o embaixador, frisando que Assange, que os EUA querem julgar por revelar ficheiros confidenciais, abusou repetidamente do asilo que lhe foi concedido em 2012, pelo então presidente Rafael Correa.

O governo do Equador divulgou, entretanto, os custos do apoio ao australiano. O MNE do Equador, Jose Valencia, afirma que o país gastou quase seis milhões de euros com Assange: mais de cinco milhões em segurança, 354 mil euros em despesas médicas, comida e lavagem de roupa e 267 mil euros em aconselhamento jurídico.

Detido na quinta-feira após sete anos de asilo, Assange pode agora ser extraditado para os EUA ou para a Suécia, onde um caso por violação poderá ser reaberto em breve.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)