Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

FILHO DEFENDE PAI HOMICIDA

Serafino, um dos filhos de Marcus Wesson, o homem que foi detido após ter, alegadamente, assassinado nove familiares, em Fresno, no estado norte-americano da Califórnia, afirmou ontem que o seu pai "é o melhor que alguém poderia ter".
16 de Março de 2004 às 00:00
Com 19 anos, Serafino estava contraído e a olhar para o chão enquanto falava com um grupo de jornalistas à entrada da casa da família, onde na passada sexta-feira foram encontrados os cadáveres das vítimas. Confrontado com as nove acusações por homicídio que o seu pai enfrenta, o jovem afirmou ser "difícil de acreditar". "É o melhor pai que alguém poderia ter. Parece bastante perigoso, mas é um homem muito gentil. Não acredito que tenha feito aquilo de que é acusado", acrescentou Serafino, que - a exemplo do seu irmão Dorian, de 29 anos - desmentiu que o seu pai tenha pertencido a uma seita religiosa ou que seja polígamo.
No entanto, Serafino admitiu que Marcus manteve relacionamentos sexuais com várias mulheres, algumas das quais têm estado em fuga ou envolvidas no consumo de estupefacientes. Confrontado com o estilo de vida da sua família, Serafino respondeu do seguinte modo: "Fui educado da forma como gostaria de educar os meus filhos, se os vier a ter".
Refira-se ainda que os múltiplos homicídios de Fresno terão sido, presumivelmente, consumados após uma discussão doméstica mais acesa sobre a custódia de alguns dos menores assassinados. Entre eles, contavam-se vários filhos de Marcus Wesson, alguns dos quais terão sido gerados pelas suas próprias filhas e também por vizinhas.
Ver comentários