Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Filipinas: Trabalho infantil prende quase seis milhões de crianças

Um relatório do governo filipino, divulgado esta terça-feira, demonstra que o trabalho infantil afecta quase uma em cada cinco crianças do país, e que mais de três milhões dessas crianças trabalham em condições perigosas.
26 de Junho de 2012 às 12:09
Trabalho infantil é uma realidade
Trabalho infantil é uma realidade FOTO: d.r.

O estudo, que as autoridades filipinas realizaram no ano passado, com o apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT), concluiu que cerca de 5,5 milhões de crianças, ou 18,93 por cento dos jovens entre os cinco e os 17 anos, são trabalhadores infantis.

Uma maioria destas crianças (69 por cento) estava ainda nas escolas ao mesmo tempo que trabalhava, mas, segundo o estudo, a probabilidade de desistência dos estudos é maior do que entre as crianças que não trabalham.

A situação tem vindo a piorar na última década, de acordo com os dados da investigação. Um levantamento semelhante, feito em 2011, concluiu que trabalhavam quatro milhões de crianças, ou 16 por cento do total.

"A causa principal do trabalho infantil é a pobreza (...) nenhum pai quer hipotecar o futuro dos filhos", disse o director da OIT para as Filipinas, Lawrence Johnson, que falava num fórum em Manila.

No fórum, as autoridades alertaram ainda que mais de três milhões de menores de idade trabalham em sectores de alto risco, como minas ou fábricas, onde as condições laborais são pouco seguras e a exposição a substâncias tóxicas e venenosas é elevada.

O governo filipino justificou o aumento do trabalho infantil com o aumento da população, e no estudo concluiu que 42 por cento das crianças estão no mercado de trabalho para ajudar as famílias.

Filipinas Trabalho infantil
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)