Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Fim dos motins em São Paulo

Após três noites de violência, o governador do Estado de São Paulo anunciou que as autoridades já conseguiram retomar o controlo nas 73 prisões onde ocorreram motins desde a passada sexta-feira, em protesto contra a transferência de chefes do crime organizado para estabelecimentos prisionais de alta segurança.
16 de Maio de 2006 às 08:27
Pelo menos 80 autocarros foram incendiados
Pelo menos 80 autocarros foram incendiados FOTO: d.r.
As revoltas nas cadeias faziam parte de uma ofensiva lançada por organizações criminosas de São Paulo, que causaram pelo menos 81 mortos, entre os quais 39 elementos das forças de segurança, e dezenas de feridos, alastrando para as ruas da cidade, com ataques a várias esquadras e a polícias nas ruas.
Cláudio Lembo, o governador do Estado de São Paulo, anunciou ontem à noite que as autoridades voltaram a controlar todas as prisões paulistas, tendo conseguido libertar cerca de 200 reféns sãos e salvos. Segundo uma fonte policial, a violência registada também nas ruas saldou-se por 80 autocarros e treze agências bancárias incendiados.
A Imprensa brasileira refere esta terça-feira que o fim dos motins e da violência nas ruas só foi possível depois de Marcos Camacho, mais conhecido por ‘Marcola’, líder do Primeiro Comando da Capital, uma das organizações criminosas mais poderosas de São Paulo, ter dado ordens por telemóvel para os seus colaboradores porem fim aos actos de violência.
Ver comentários