Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

FOCO NAS MULHERES

O voto das mulheres esteve ontem em foco na campanha de John Kerry e George Bush, que nestes últimos dias antes das eleições de 2 de Novembro começam a estreitar a mensagem para grupos específicos.
23 de Outubro de 2004 às 00:00
Em Milwaukee, Estado do Wisconsin, John Kerry foi apresentado por Caroline Kennedy Schlossberg filha do antigo presidente John Kennedy, mas acompanhado também por Kristen Breitweiser, uma viúva do 11 de Setembro, e Dana Reeve, mulher actor Christopher Reeve falecido há dias.
Kerry disse que, se for Presidente, quer “um novo começo” (um dos ‘slogans’ da sua campanha) com bons empregos e igualdade de salários para as mulheres, “as grandes sacrificadas” do país.
Na simplificação dos estudos de opinião, o eleitorado feminino vota normalmente democrata e o masculino republicano. Mas desta vez, no pós-11 de Setembro, admite-se que muitas mães com filhos tenham em conta o factor medo. Por isso as sondagens são ainda pouco conclusivos, mostrando Kerry à frente no género mas não tão folgado como é costume. E as mulheres formam a maioria dos eleitores indecisos.
“Apesar de trabalharem muito, nos seus empregos e em casa, ninguém na Casa Branca percebe os desafios que se enfrentam. As mulheres que eu conheço não esperem que o Governo faça o trabalho delas, mas querem líderes que estejam do seu lado”, disse o democrata John Kerry.
Na Pensilvânia, George Bush definiu por sua vez os cinco pontos fundamentais desta eleição: “A segurança das vossas famílias, o vosso dinheiro, a vossa qualidade de vida, as vossas reformas e os valores fundamentais que são tão importantes para as nossas famílias e o nosso futurpo”. E voltou a defender o seu sistema de saúde, uma das grandes preocupações das mulheres, porque as propostas de Kerry “levarão a que toda a responsabilidade passe para o Governo federal, tornando os serviços mais caros e mais deficientes”.
Nestes últimos dias, as sondagens e estudos de opinião têm sido um ponto de controvérsia entre os dois campos. Uma significativa parte dos estudos mostram Bush com uma pequena liderança, mas os democratas dizem que “mesmo os estudos da histórica Gallup têm erros que induzem resultados pouco prováveis”. Aceite por todos é que as sondagens não dão este ano grande ajuda.
Algum significado teve o anúncio de um Comité de Americanos Islâmico de apoio a John Kerry como “voto de protesto”. Há quatro anos, esta coligação de dez organizações, tinha apoiado Bush, mas desiludiu-se porque as políticas do presidente têm levado a que muitos deles sejam incomodados nas ruas.
OS INCENTIVOS AO VOTO NA INTERNET
ELEITORES DO ORGASMO
Criado por um grupo de estudantes universitários, o Votergasm.org propõe-se a conseguir 100.000 eleitores, que se comprometerão a votar e a ter relações sexuais no dia das eleições com não abstencionistas. São os eleitores do orgasmo.
VOTO NO FEMININO
‘Vota como se a tua vida dependesse disso’ é o lema da Fundação de Maioria Feminista, que tem nas suas fileiras actrizes como Susan Sarandon e Candice Bergen para promover o voto feminino. Para saber mais basta ir ao getouthervote.org/
‘ARRASTAR' OS JOVENS
O MoveOn.org está apostado a ‘arrastar’ para as urnas os milhões de jovens que não votaram nas eleições de 2000. Para isso tem como participantes Bruce Springsten, Pearl Jam, R.E.M., que apelam ao voto pela mudança (Vote for Change).
OS ESTRANGEIROS
Todo o planeta poderá votar nas eleições presidenciais norte-americanas. O voto estrangeiro não terá validade legal, como é evidente, mas servirá para registar a opinião pública internacional. Para votar pelo seu favorito bastar ir ao globalvote2004.org.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)