Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

"Foram utilizadas armas químicas"

John Kerry, secretário de Estado dos EUA, afirmou ontem, em conferência de imprensa, tratar-se de uma "obscenidade" que não ficará impune.
27 de Agosto de 2013 às 01:00
Inspetores 'azuis' entrevistaram feridos do alegado ataque químico e recolheram amostras
Inspetores 'azuis' entrevistaram feridos do alegado ataque químico e recolheram amostras FOTO: Abo Alnour Alhaj/Reuters

Os inspetores da ONU estiveram ontem em Muadamiya, um dos locais alegadamente bombardeados com armas químicas, e uma das caravanas foi desde logo alvo de uma emboscada. Mesmo assim, os peritos continuaram a missão, tendo recolhido amostras e entrevistado vítimas do ataque. Mas, para os EUA não existem dúvidas quanto à veracidade do massacre, com o secretário de Estado John Kerry a condenar claramente o regime de Assad e a prometer que ninguém ficará impune.

Os inspetores ‘azuis’ partiram ao início da manhã e a meio do percurso a missão chegou a estar em risco depois de um dos carros ter sido alvejado por atiradores furtivos. O ataque não causou feridos e a missão prosseguiu então para Muadamiya, onde os peritos se encontraram com médicos e sobreviventes feridos no massacre que na passada quarta-feira matou pelo menos 1300 pessoas, dezenas delas crianças. Foram inspecionados edifícios bombardeados e recolhidas amostras de sangue e de cabelo. A missão, recorde-se, tem como objetivo determinar se foram usadas armas químicas e as amostras recolhidas poderão fornecer pistas sobre a autoria do massacre. Teme-se, no entanto, que muitos indícios tenham sido já dissimulados.

As averiguações da ONU sucedem-se entre intensa pressão das chancelarias ocidentais. Ontem, John Kerry assegurou que foram utilizadas armas químicas e exortou o Mundo a erguer-se contra "esta obscenidade", afirmando que o presidente Barack Obama tomará muito em breve uma decisão.

Síria Nações Unidas John Kerry EUA armas químicas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)