Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Forte afluência

Sem incidentes e com uma grande participação dos eleitores, as eleições legislativas na Guiné-Bissau decorreram ontem normalmente, ainda que se tenha registado atrasos na abertura de algumas assembleias de voto.
17 de Novembro de 2008 às 00:30
PAIGC, do ex-primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior, é o favorito
PAIGC, do ex-primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior, é o favorito FOTO: Tiago Petinga / Lusa

Em declarações à imprensa, em Bissau, o chefe da Missão da Observação Eleitoral da União Europeia, Johan Van Hecke, disse que os atrasos se ficaram a dever à falta de material. Algumas assembleias de voto abriram sem segurança, mas não há  registo de quaisquer problemas. 

Em declarações ao Correio da Manhã a partir da capital guineense, o secretário executivo adjunto da Comissão Nacional de Eleições, Armando Tchoba dos Santos, confirmou o atraso em algumas assembleias de voto mas adiantou que a situação foi ultrapassada e estava tudo a decorrer sob controlo. 'Em Mansoa e Bissorá houve alguns problemas que foram depois resolvidos. Os cadernos eleitorais foram trocados em algumas assembleias de voto dessas duas regiões. Os nossos técnicos foram para o local e resolveram o problema. Se for necessário prolongaremos o período de votação na região de Mansoa e em Bissorá', garantiu Tchoba dos Santos.

Os guineenses vão eleger o futuro governo, depois de terem tido quatro primeiros-ministros desde 2004, data das últimas Legislativas. Carlos Gomes Júnior, líder do PAIGC, é tido como o favorito destas eleições, mas rivaliza com o carismático Kumba Ialá, presidente do Partido de Renovação Social. Depois destas eleições, os guineenses voltam às urnas em 2010 para eleger um novo presidente.

SAIBA MAIS

CÌRCULOS ELEITORAIS

Dos círculos eleitorais os mais importantes são Bissau, que elege 20 deputados, seguido de Oio, com 16, e Gabu, Bafatá e Chacéu, que elegem 14 deputados.

1991 foi o ano que marcou o início do multipartidarismo no país, com a revisão constitucional promovida pelo Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC).

INDEPENDÊNCIA EM 1974

O país foi uma colónia de Portugal desde o século XV até à independência, em 1974. O primeiro navegador português a chegar foi Álvaro Fernandes, em 1446.

 

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)