Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula

11 pessoas estão detidas devido ao homicídio de Paty.
Lusa 18 de Outubro de 2020 às 12:51
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
França homenageia Samuel, o professor decapitado após mostrar caricatura de profeta numa aula
Um pouco por toda a França são esperadas este domingo manifestações contra o horror e em homenagem ao professor decapitado na sexta-feira, por mostrar aos seus alunos caricaturas de Maomé, e pelo qual 11 pessoas estão detidas.

Os responsáveis dos principais partidos políticos, associações e sindicatos vão manifestar-se este domingo, às 15h00 (14h00, em Lisboa), em Paris e em em outras cidades incluindo Lyon, Toulouse, Estrasburgo, Nantes, Marselha, Lille e Bordéus.

O jornal Charlie Hebdo, duramente atingido pelo terrorismo islâmico em 2015, também anunciou que se vai associar à manifestação na capital francesa.

França Samuel Maomé política
Ver comentários