Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

França vai reinscrever Panamá na lista de paraísos fiscais

Na sequência da investigação internacional "Panama Papers".
5 de Abril de 2016 às 16:30
O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças francês, Michel Sapin
O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças francês, Michel Sapin FOTO: ETIENNE LAURENT/EPA
A França vai voltar a incluir o Panamá na lista de países que não cooperam no combate à evasão fiscal, anunciou esta terça-feira o ministro das Finanças, Michel Sapin, na sequência da investigação internacional sobre paraísos fiscais "Panama Papers".

"França decidiu voltar a pôr o Panamá na lista de países não-cooperativos, com todas as consequências que isso implica para quem fizer transações" financeiras com aquele país da América central, disse Sapin no parlamento francês.

O Panamá "queria que acreditássemos que podia respeitar os grandes princípios internacionais", "foi assim que conseguiu evitar estar na lista negra de paraísos fiscais", acrescentou o ministro.

França retirou o Panamá da lista de Países e Territórios Não-Cooperativos em 2012, depois de os dois países concluírem um acordo bilateral sobre combate à evasão fiscal.

Em dezembro, por altura da atualização da lista e devido à fraca resposta das autoridades panamianas a pedidos de informação de França, O Ministério das Finanças afirmou que estava a acompanhar com "muita atenção" as transações com o Panamá. Os chamados "Papéis do Panamá", uma enorme fuga de informações sobre transações financeiras 'offshore' envolvendo dirigentes mundiais e celebridades, levaram vários países a abrir investigações.

O Panamá consta de uma lista de 30 paraísos fiscais divulgada pela Comissão Europeia em junho de 2015, a par de Hong Kong, na Ásia, Mónaco, Andorra e Guernsey, na Europa, e territórios caribenhos com as Ilhas Caimão e as Ilhas Virgens britânicas.

Em contrapartida, o Grupo de Ação Financeira Internacional (GAFI), um organismo intergovernamental de luta contra o branqueamento de capitais, retirou o Panamá da sua "lista negra" no princípio de 2016.
Panamá França Michel Sapin Panama Papers crime económico
Ver comentários