Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Governo espanhol decide exumar cadáver de ditador após 43 anos

Franco vai deixar o Vale dos Caídos.
Francisco J. Gonçalves 25 de Agosto de 2018 às 09:55
Francisco Franco governou a Espanha entre 1939 e 1975
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
A basílica do Vale dos Caídos, onde está sepultado Franco e milhares de combatentes da Guerra Civil
Francisco Franco governou a Espanha entre 1939 e 1975
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
A basílica do Vale dos Caídos, onde está sepultado Franco e milhares de combatentes da Guerra Civil
Francisco Franco governou a Espanha entre 1939 e 1975
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
Governo espanhol aprova exumação dos restos mortais do presidente Franco
A basílica do Vale dos Caídos, onde está sepultado Franco e milhares de combatentes da Guerra Civil
O governo espanhol aprovou esta sexta-feira, em Conselho de Ministros, um decreto lei que prevê a exumação "urgente" do cadáver do ditador Francisco Franco do Vale dos Caídos.

O executivo do primeiro-ministro Pedro Sánchez dá 15 dias à família de Franco para decidir se quer assumir o processo e indicar o local para onde será transferido o cadáver. Se não o fizer, o governo tomará a seu cargo a transferência.

"É urgente porque já vamos tarde", afirmou a vice-presidente do governo, Carmen Calvo: "Um ditador não pode ter uma tumba de Estado numa democracia consolidada como a espanhola."

O executivo prevê que o processo administrativo, que se iniciará na próxima semana e que terá uma tramitação legal e parlamentar, deverá estar concluído antes do final do ano.

A medida, que chega 43 anos após a morte de Franco, mereceu críticas da oposição, que nega o caráter de urgência. O Partido Popular (PP), do ex-PM Mariano Rajoy, vai recorrer da decisão para o Tribunal Constitucional, mas não confirmou se votará contra no parlamento.

Quanto ao Cidadãos, criticou a decisão por decreto e anunciou que se vai abster na votação parlamentar, o que não basta para bloquear a medida.

Se os sete netos do ditador se encarregarem do processo o corpo deve ser enterrado no panteão familiar, no cemitério do Prado, Madrid.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)