Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

FUGAS MOTIVAM INQUÉRITO

O Departamento de Justiça norte-americano abriu um inquérito oficial a "eventuais fugas não autorizadas" dentro da Casa Branca sobre a identidade de uma agente da CIA (Serviços Secretos), informou ontem um porta-voz da Casa Branca.
1 de Outubro de 2003 às 00:00
Alberto Gonzáles, conselheiro jurídico oficial do presidente norte-americano, George W. Bush, ordenou aos funcionários da Casa Branca que guardem todos os documentos que "possam estar relacionados" com a investigação, precisou o porta-voz, Scott McClellan. "O presidente ordenou uma cooperação total com a investigação", indicou Gonzáles numa mensagem dirigida aos funcionários da presidência.
Na passada segunda-feira, a Casa Branca negou uma acusação segundo a qual teria entregue aos “media” o nome de uma agente secreta para se vingar do marido desta, um antigo diplomata que contestou as acusações feitas pela administração Bush ao Iraque, relacionadas com o urânio africano, segundo noticiou a Imprensa. Refira-se que revelar o nome de um agente secreto é, nos Estados Unidos, um crime federal punido com vários anos de prisão.
Ver comentários