Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Casal português conta terror

"Fugimos em pânico e sem saber de quê", contam.
Manuel Jorge Bento 16 de Novembro de 2015 às 08:55
Daniela Fogageira e Bruno Arcos, de 22 anos, assistiam ao jogo no estádio de França no momento das explosões
Daniela Fogageira e Bruno Arcos, de 22 anos, assistiam ao jogo no estádio de França no momento das explosões FOTO: Manuel Jorge Bento e DR
No final do jogo particular França-Alemanha de sexta-feira, no Estádio de França, em Paris, Daniela Fogageira e Bruno Arcos viveram momentos de terror. "Quando tentámos sair, a multidão começou a correr para trás e foi o pânico total, com as famílias a separarem-se. No relvado, perguntámos o que se passava e só percebíamos as palavras ‘perigo’ e ‘atentado’. Havia casais agarrados com crianças ao colo, em pranto", contou ao CM o casal de Matosinhos, de 22 anos, que já voltou a Portugal. "Não sabíamos ao certo o que tinha acontecido", acrescentaram.

Uma chamada de uma tia de Daniela a alertá-los para os ataques deixou o casal em sobressalto. Porém, verdadeiro pânico viria a ser vivido na Gare do Norte, após uma viagem de comboio.

"Mal saímos, a polícia disse para corrermos, aos gritos, com frases que não percebi. Começámos a correr, havia pessoas a passar por cima dos torniquetes e a abri-los à força", referiu Bruno.

"Fugimos em pânico, mas sem saber de quê. Vimos o terror no olhar das pessoas e pensámos que havia alguém armado por perto", disse Daniela. O estado de alerta estava instalado.

"Havia poucas pessoas nas ruas e a maioria, como nós, à procura de chegar a um sítio seguro. Bastava levar a mão ao bolso e éramos olhados de lado com medo", explicaram. "Não sabíamos ainda se tinha havido tiroteio ou atentado, nem onde", dizem.

Conseguiram chegar ao hotel, onde ficaram a saber o que aconteceu. De manhã, viram "uma cidade ferida". Só sentiram alívio no aeroporto de Beauvais – de onde partiram para Portugal.
Ver comentários