Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Futuro nas mãos dos iraquianos

George W. Bush, efectuou ontem uma visita-surpresa ao Iraque, dias depois da morte do líder da al-Qaeda no Iraque, o jordano Abu Musab al-Zarqawi. O presidente norte-americano, que defendeu que “o futuro do país depende dos iraquianos”, assegurou que os EUA estão com o povo e com o novo governo.
14 de Junho de 2006 às 00:00
Bush acompanhado pelo primeiro-ministro iraquiano, Al-Maliki
Bush acompanhado pelo primeiro-ministro iraquiano, Al-Maliki FOTO: Larry Downing/Reuters
“Vim não apenas para vos olhar nos olhos, mas também para vos dizer que os EUA estão com o povo iraquiano e com o novo executivo”, afirmou Bush em Bagdad, durantea visita de cerca de cinco horas.
“A melhor maneira de vencer a guerra contra os rebeldes é o estabelecimento de um governo de unidade nacional capaz de se defender, mas também de beneficiar as pessoas”, afirmou Bush antes da sua deslocação, adiantando que o sucesso do Iraque depende do desempenho do novo governo. Refira-se que Bush reuniu o Conselho de Guerra, no qual discutiu o futuro do Iraque.
70 MIL PATRULHAM A CAPITAL
Entretanto, o gabinete do primeiro-ministro iraquiano, Nuri Al-Maliki, anunciou que pelo menos 70 mil efectivos – a maioria iraquianos – serão enviados hoje para as ruas de Bagdad, para garantir a segurança.
Refira-se que ontem uma série de ataques, nomeadamente em Kirkuk, matou pelo menos 18 pessoas, de um total de 32 no país. O presidente norte-americano admitiu que os ataques vão continuar, tanto mais que o sucessor de Zarqawi prometeu não dar tréguas.
NOTAS
POPULARIDADE
A popularidade do presidente George W. Bush aumentou ligeiramente após a morte do líder da al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi, revela uma sondagem USA Today/Gallup.
FOI UM ERRO
A maioria dos americanos (55% dos inquiridos) considera que a guerra no Iraque foi um erro, mas está optimista após a morte de Zarqawi.
MILHÕES DE LUCROS
As empresas de segurança privadas, a maioria contratadas pelos EUA, estão a ganhar milhões de dólares no Iraque.
SADDAM HUSSEIN
Os advogados de defesa do ex-ditador iraquiano, Saddam Hussein, tiveram de rematar os seus argumentos na audiência de ontem, já que o juiz Rauf Abdel Rahman decidiu que seria o último dia para as suas alegações finais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)