Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

G8 defende mais crescimento

Com a crise do euro como pano de fundo terminou ontem, em Camp David, EUA, a Cimeira do G8. E a mensagem dos líderes mundiais transpareceu na declaração formal, na qual sobressai o apelo ao crescimento económico e criação de mais emprego.

20 de Maio de 2012 às 01:00
Os líderes dos países mais desenvolvidos do Mundo estiveram reunidos durante dois dias
Os líderes dos países mais desenvolvidos do Mundo estiveram reunidos durante dois dias FOTO: Guido Bergmann/Reuters

"O nosso dever é promover o crescimento e postos de trabalho", lê-se no documento assinado pelos representantes das maiores economias mundiais, Alemanha, Itália, França, Reino Unido, Japão, EUA, Canadá e Rússia. Na declaração sublinha-se ainda o "interesse em manter a Grécia na Zona Euro", mas adverte--se que o país tem de respeitar os compromissos assumidos. E a austeridade promovida e defendida pela chanceler alemã Angela Merkel surge no quarto parágrafo da declaração e mesmo assim sublinhando que "as medidas não devem ser as mesmas" para todos os países. "O crescimento e a consolidação fiscal estão integrados no mesmo pacote", defendeu Barack Obama, perante a anuência de Merkel e do presidente francês, François Hollande.

A crise financeira mundial estará de novo presente na Cimeira da NATO, hoje, em Chicago, cuja agenda oficial é, no entanto, dedicada ao Afeganistão.

EUA G8 CIMEIRA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)