Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Gabinete de Rato alvo de novas buscas

Autoridades espanholas realizaram novas buscas no gabinete de Rodrigo Rato
18 de Abril de 2015 às 17:39
O Ministério Público espanhol acusou Rodrigo Rato de crimes de fraude, branqueamento de capitais e ocultação de bens
O Ministério Público espanhol acusou Rodrigo Rato de crimes de fraude, branqueamento de capitais e ocultação de bens FOTO: Andrea Comas/Reuters
O gabinete de Rodrigo Rato, antigo diretor-geral do FMI, em Madrid foi novamente alvo de buscas efetuadas pelas autoridades fiscais espanholas.

Rodrigo Rato, 66 anos, está ser investigado por alegada fraude cometida durante o período em que exerceu o cargo de presidente do banco espanhol Bankia, instituição resgatada pelo Estado espanhol.

O antigo ministro do governo de José Maria Aznar (PP) disse ao jornal El Pais que está a "colaborar ativamente" com os investigadores.

O Ministério Público espanhol acusou Rodrigo Rato de crimes de fraude, branqueamento de capitais e ocultação de bens.

As autoridades espanholas realizaram a primeira busca na quinta- feira ao escritório do antigo vice-primeiro-ministro espanhol, que, ao fim de três horas, foi escoltado pela polícia tendo sido libertado depois de ter prestado depoimento no Ministério Público.
Rodrigo Rato FMI Madrid José Maria Aznar PP El Pais Ministério Público crime lei e justiça investigação
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)