Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

GOVERNADOR-GERAL DA AUSTRÁLIA RENUNCIA

O representante da rainha de Inglaterra na Austrália, o governador-geral Peter Hollingworth, renunciou ao cargo, alegando que a integridade do posto estava em risco por causa do impacte público de dois escândalos sexuais do seu passado como sacerdote anglicano.
25 de Maio de 2003 às 16:48
Peter Hollingworth
Peter Hollingworth
O governador-geral representa a rainha de Inglaterra, que por inerência da sua posição é também chefe de Estado da Austrália, um posto que quase se resume a deveres cerimoniais, mas que retém ainda o poder de dissolver o governo australiano. Peter Hollingworth, nomeado em Junho de 2001, viu-se recentemente confrontado com a indignação pública devido a alegações de que protegeu um padre pedófilo (agora preso) quando era arcebispo de Brisbane, na década de 90, e de que terá violado uma mulher há 40 anos. O governador-geral demissionário admitiu ter cometido um erro de juízo no caso do padre pedófilo, mas negou as alegações de violação. Este último caso foi anulado em tribunal, na sexta-feira, a pedido dos familiares da alegada vítima, que já faleceu.
“Apesar de serem erradas as alegações feitas contra mim como goverandor-geral, a continuação da controvérsia pública tem o potencial de minar e diminuir a minha capacidade para manter a importância, dignidade e integridade deste posto”, disse Hollingworth, depois de se demitir. O primeiro-ministro australiano, John Howard, só deverá comentar esta demissão depois de reunir com Hollingworth, o que irá acontecer na segunda-feira.
O governador estadual da Tãsmania, Guy Green, o mais antigo governador em funções na Austrália, vai assumir o cargo de governador-geral a título interino, até que seja nomeado o substituto de Hollingworth, o terceiro governador-geral a demitir-se em 102 anos de existência do cargo, o primeiro a sair em desgraça. O último escândalo a atingir este cargo foi em 1975, quando o então governador-geral John Kerr dissolveu o governo trabalhista da altura, por este não ter conseguido aprovar no Parlamento o Orçamento de Estado.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)