Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Governo aprova ajuda às vítimas

O governo italiano aprovou ontem uma série de medidas preliminares de ajuda às vítimas do sismo na região de Abruzzo, incluindo a suspensão imediata do pagamento das hipotecas aos bancos e a concessão de uma ajuda mensal de 400 euros a todos os afectados.

10 de Abril de 2009 às 00:30
O presidente Giorgio Napolitano visitou ontem as vítimas do terramoto
O presidente Giorgio Napolitano visitou ontem as vítimas do terramoto FOTO: Ciro Fusco, EPA

A decisão do governo surge na sequência de denúncias feitas por vários sobreviventes do sismo, que receberam telefonemas dos bancos a intimá-los a pagar as respectivas prestações do crédito à habitação, mesmo nos casos em que esta foi arrasada pelo sismo.

Perante tamanha insensibilidade dos bancos, que chegaram até a pressionar pessoas que perderam familiares no sismo, o governo ordenou às instituições bancárias para suspenderem imediatamente as hipotecas de todas as pessoas afectadas pelo sismo. De igual modo, foi também suspensa a cobrança das facturas de água e luz dos afectados, tendo o governo decidido ainda atribuir um subsídio mensal de 400 euros às famílias que perderam tudo.

Entretanto, o presidente Giorgio Napolitano visitou a região afectada, no mesmo dia em que os custos da reconstrução foram estimados em cerca de três mil milhões de euros.

MAIS BUSCAS

As operações de busca vão prosseguir até domingo, apesar de já não haver grande esperança de encontrar mais sobreviventes. O último balanço apontava para 287 mortos.

Para hoje, dia de luto nacional em Itália, estão agendados os funerais de Estado, que serão presididos pelo cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano.

CELEBRIDADES VÃO DOAR FUNDOS PARA APOIAR PESSOAS AFECTADAS

O sismo da passada segunda-feira deu origem a uma gigantesca onda de solidariedade por toda a Itália, com pessoas dos mais variados sectores da sociedade a se mobilizarem para ajudar as vítimas. Além dos milhares de voluntários que participam nas buscas, muitas outras pessoas enviaram donativos, comida e agasalhos para os afectados.

A Associação de Pasteleiros, por exemplo, enviou bolos para alegrar a Páscoa dos milhares de desalojados. De igual modo, celebridades como a primeira-dama francesa Carla Bruni ou a cantora Madonna (ambas de origem italiana) anunciaram que vão doar dinheiro para ajudar as vítimas. Esta última, que doou 370 mil euros, ficou particularmente sensibilizada, já que tem familiares na região afectada.

Ver comentários