Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Governo espanhol ameaça retaliar

Depois de a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, ter nacionalizado 51% do capital da companhia petrolífera YPF, controlada pela espanhola Repsol, o governo de Madrid condenou ontem a decisão de Buenos Aires e ameaçou com uma retaliação económica.
18 de Abril de 2012 às 01:00
A presidente argentina, Cristina Kirchner, nacionalizou 51% do capital da petrolífera YPF, subsidiária da espanhola Repsol
A presidente argentina, Cristina Kirchner, nacionalizou 51% do capital da petrolífera YPF, subsidiária da espanhola Repsol FOTO: Reuters

"A Argentina deu um tiro no pé", considerou o ministro dos Negócios Estrangeiros, José Manuel García-Margallo. "O prejuízo pode ser irreparável para a Argentina", porque pode "ver cortado o acesso ao crédito internacional", afirmou.

O chefe da diplomacia espanhola, que criticou com dureza a expropriação da subsidiária da Repsol, transmitiu esta mensagem ao embaixador da Argentina em Madrid, Carlos Bettini, chamado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, onde lhe foi manifestado o mal-estar de Espanha pela decisão tomada.

Madrid ameaçou ainda retaliar "nos campos diplomático, industrial e da energia".

A Repsol exige uma indemnização de pelo menos oito mil milhões de euros por danos. Já o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, mostrou-se "extremamente desiludido" com a decisão argentina.

CRISTINA KIRCHNER ARGENTINA REPSOL
Ver comentários