Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Governo iraquiano incompleto

O novo governo iraquiano, que tomou posse esta terça-feira, deixou por nomear cinco ministros e dois vice-primeiro-ministros, deixando transparecer severas dificuldades em formar uma liderança unida.
3 de Maio de 2005 às 15:27
O Executivo, liderado pelo primeiro-ministro Ibrahim al-Jaafari, tomou posse em Bagdad, mas deixou em branco os cargos de ministro do Petróleo, Defesa, Electricidade, Indústria e Direitos Humanos. A cerimónia realizou-se quase uma semana depois do governo ter sido revelado e mais de três meses após as primeiras eleições pós-Saddam Hussein no Iraque.
Calculava-se que o sucesso das eleições e a formação de um governo pusesse um fim aos conflitos no Iraque, mas desde que o executivo foi nomeado surgiram mais ondas de violência.
Esperava-se que o engenheiro petrolífero Ibrahim Bahr al-Uloum fosse nomeado como ministro do Petróleo, mas tal não aconteceu.
Na semana passada, o controverso político iraquiano Ahmad Chalabi foi indicado como ministro do Petróleo interino, até que se chegasse a um consenso sobre a pessoa mais indicada para ocupar o cargo.
Recorde-se que após anos de sanções económicas e guerras, a economia do Iraque depende da exportação de petróleo para recuperar. No entanto, esta indústria tem sofrido vários ataques, nomeadamente através de bombas em oleodutos, colocadas por guerrilhas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)