Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Governo reconhece derrota

A tentativa do primeiro-ministro italiano cessante, Silvio Berlusconi, de continuar no poder, contestando o resultado das eleições do passado fim-de-semana, desvanece-se pelo facto de não se encontrarem provas que suportem as suas acusações de irregularidades. O ministério do Interior baixou de 82 850 para 5266 os votos a verificar, número insuficiente para evitar a derrota de Berlusconi.
15 de Abril de 2006 às 00:00
Berlusconi vai mesmo ser obrigado a abdicar do poder
Berlusconi vai mesmo ser obrigado a abdicar do poder FOTO: Giglia Schiavella, Epa
Com efeito, o governo precisou que o número de boletins de voto contestados após as eleições legislativas é muito menor do que tinha sido inicialmente anunciado. Assim, em vez de 82 850 votos – 43 000 dos quais referentes à escolha da Câmara dos Deputados, conquistada pela coligação de centro-esquerda dirigida por Romano Prodi com uma vantagem de apenas 25 000 votos – são apenas 5266 os boletins de voto sujeitos a verificação.
Ontem, o jornal ‘La Repubblica’ especificou que os votos contestados são apenas de 2131 votos no que se refere à Câmara dos Deputados e 3135 em relação ao Senado, totalizando 5266, um número muito inferior ao avançado inicialmente. “Trata-se ainda de números provisórios, que terão de ser sancionados em definitivo pelas comissões eleitorais regionais” – afirmou o ministério do Interior em comunicado. Mas as dúvidas iniciais estão praticamente dissipadas e a derrota de Berlusconi é cada vez mais certa.
PRODI FALA EM "ESTRANHA COMÉDIA"
Romano Prodi, cuja vitória nas legislativas em Itália é contestada por Silvio Berlusconi, afirmou ontem que uma “estranha comédia terminou”, após o anúncio de erro na contagem dos votos contestados.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)