Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Grande coligação pronta a avançar

Após quatro semanas de duras negociações, os democratas-cristãos e os sociais-democratas alemães chegaram a acordo para a formação de um governo de coligação. Numa conferência de Imprensa, Angela Merkel, que no próximo dia 22 verá o seu sonho concretizado ao ser confirmada chanceler pelo Parlamento, declarou: “Estou convencida de que esta coligação é uma verdadeira oportunidade para a Alemanha”.
12 de Novembro de 2005 às 00:00
O documento do acordo, de mais de 130 páginas, será apresentado hoje oficialmente e terá de ser ratificado pelas bases dos três partidos envolvidos na coligação –a União Democrata Cristã (CDU), a União Social-Cristã (CSU), o Partido Social-Democrata (SPD) – em congressos que decorrerão na próxima segunda-feira.
As negociações entre os partidos foram espinhosas e, na semana passada, chegaram mesmo a pôr em causa a formação da coligação. Aliás, até ao último momento foram discutidas questões decisivas como o agravamento da carga fiscal, nomeadamente a introdução do chamado ‘imposto dos ricos’, e o aumento do IVA (19%), a implementação de medidas para a redução do défice e a anulação de algumas medidas de protecção de que beneficiam os trabalhadores.
É com muita expectativa que os alemães encaram esta coligação de rivais que nasceu dos incómodos resultados das eleições de 18 de Setembro, nas quais nenhum dos partidos conseguiu maioria absoluta. Por outro lado, ela poderá resultar em menos oposição na Câmara Alta e conseguir a aprovação de medidas polémicas.
Ver comentários