Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Há um país onde os 'influencers' são grupo prioritário para receber vacina contra a Covid-19

"Não tenham medo das vacinas", incentivou o ator e influencer enquanto estava a ser vacinado.
Correio da Manhã 14 de Janeiro de 2021 às 16:48
Raffi Ahmad
Raffi Ahmad FOTO: Direitos Reservados/ Instagram

Há um país onde os influencers são grupo prioritário para receber vacina contra a Covid-19. Na Indonésia os influenciadores estão na fila dos primeiros para  ser vacinados contra a doença.

De acordo com informação avançada pela Reuters, o ator Raffi Ahmad e a mulher e também atriz Nagita Slavina têm mais de 50 milhões de seguidores no Instagram e Raffi foi escolhido para ser uma das primeiras pessoas sa receber a vacina contra o coronavírus. A medida surgiu com a necessidade de explicar à população a importância de ser vacinado contra a Covid-19 e que esta é segura.

"Alhamdulillah [Louvado seja Deus] pela vacina... Não tenham medo das vacinas", escreveu a celebridade, de 33 anos, na legenda de um vídeo em que está a ser vacinado.

A inclusão de influenciadores das redes sociais como um grupo prioritário de vacinação, numa altura em que o número de doses ainda é limitado, não passou despercebida. No entanto, de acordo com o Ministério da Saúde da Indonésia, a decisão de incluir influencers ao lado de quase 1,5 milhões de profissionais de saúde na primeira ronda de inoculações foi uma estratégia de comunicação governamental propositada. A ideia parecia ser boa mas acabou por sair furada ao serem publicadas fotografias de Raffi numa festa horas depois de ser vacinado, onde se encontrava sem máscara.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Covid-19 Raffi Ahmad Indonésia saúde pandemia doença coronavírus
Ver comentários