Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Heroína mexicana exilada nos EUA

A jovem estudante de criminologia que, há apenas quatro meses, foi considerada ‘a mulher mais corajosa do México’ ao oferecer-se para chefiar a esquadra de polícia na cidade mais perigosa do país acaba de pedir asilo nos EUA. Não aguentou as ameaças dos traficantes.
6 de Março de 2011 às 00:30
Marisol Valles García não aguentou as ameaças de morte e abandonou o cargo
Marisol Valles García não aguentou as ameaças de morte e abandonou o cargo FOTO: Tomas Bravo/Reuters

Marisol Valles García, de 20 anos, saltou do anonimato para as páginas dos jornais mundiais ao aceitar o cargo que mais ninguém queria: o de chefe da polícia da localidade de Praxédis, em Valle de Juárez, a região mais perigosa do México, onde dezenas de polícias são mortos todos os anos por traficantes de droga. "Claro que tenho medo, mas não podemos deixar que o medo vença. Corro este risco porque quero que o meu filho viva num ambiente diferente daquele que hoje se vive aqui", afirmou na altura.

Quatro meses e muitas ameaças de morte depois, a jovem chefe da polícia desapareceu sem deixar rasto nem explicação. Viajou para os Estados Unidos, a pretexto da saúde do filho, e ali terá pedido asilo político, conta a imprensa local, adiantando que o assassinato, em Janeiro, da primeira mulher chefe de polícia mexicana, terá precipitado a decisão de Marisol.

MÉXICO HEROÍNA EUA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)