Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

"Holocausto de peixes": Mulher vegana entra em restaurante e acusa clientes de abusarem de animais

Documentário sobre peixes terá motivado grupo de ativistas a tomar medidas extremas.
4 de Maio de 2021 às 11:26
Tash Peterson
Tash Peterson
Tash Peterson
Tash Peterson
Tash Peterson
Tash Peterson
Um grupo de ativistas, liderado pela ativista vegana Tash Peterson, decidiu tomar medidas extremas para evitar aquilo a que chamam "holocausto de peixes". De acordo com o jornal britânico Mirror, Peterson entrou num restaurante especializado na confecção de peixe em Perth, Austrália, subiu a uma mesa e começou a acusar os clientes de serem "abusadores de animais". 

Tash, ativista vegana conhecida por realizar acrobacias publicitárias virais, numa tentativa de impedir que outras pessoas comam carne e peixe, seguia acompanhada por um grupo de ativistas que empunhavam placas a dizer: "Peixes sentem dor, assim como nós".

"Neste momento, existem biliões de peixes, golfinhos, baleias e outros animais marinhos a serem arrancados do oceano, em enormes redes de arrastão e estão a sufocar até a morte", gritou o jovem de 26 anos, acrescentando que este era "o maior holocausto da história"

Um dos clientes abordou a jovem pedindo que se calasse, mas a ativista ameçou chamar a polícia caso este a tocasse. 

O documentário que se está a tornar viral na Netflix Seaspiracy - que aborda o impacto ambiental da pesca - tem vindo a aumentar o números de pessoas que prometeram deixar de comer peixe e terá motivado o grupo a agir, indica o mesmo jornal.
Tash Peterson Mirror Austrália Perth ambiente questões sociais estilo de vida e lazer interesse humano animais
Ver comentários