Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Homicida de Mäelys de Araújo explica crime em tribunal

Nordahl Lelandais confessou ter matado a menina lusodescendente "de forma acidental".
19 de Março de 2018 às 16:15
Maëlys de Araújo
Nordahl Lelandais
Nordahl Lelandais
Maëlys foi assassinada no dia 27 de agosto de 2017
Maëlys de Araújo
Buscas dificultadas pela neve e relevo do local
Maëlys foi assassinada no dia 27 de agosto de 2017
Maëlys Araújo
Maelys
Maëlys de Araújo
Nordahl Lelandais
Nordahl Lelandais
Maëlys foi assassinada no dia 27 de agosto de 2017
Maëlys de Araújo
Buscas dificultadas pela neve e relevo do local
Maëlys foi assassinada no dia 27 de agosto de 2017
Maëlys Araújo
Maelys
Maëlys de Araújo
Nordahl Lelandais
Nordahl Lelandais
Maëlys foi assassinada no dia 27 de agosto de 2017
Maëlys de Araújo
Buscas dificultadas pela neve e relevo do local
Maëlys foi assassinada no dia 27 de agosto de 2017
Maëlys Araújo
Maelys
O autor confesso da morte da menina lusodescendente Maëlys de Araújo, Nordahl Lelandais, começou "a dar explicações" aos juízes de instrução que o interrogam, de acordo com a agência AFP.

A France-Presse cita o Ministério Público, que indicou que não vai dar conferência de imprensa no final da audiência.

"Nordahl Lelandais dá as suas explicações. É preciso reservá-las aos pais da vítima e confrontá-las com a investigação", explicou à AFP a procuradoria, precisando que a audiência ainda decorre.

Nordahl Lelandais foi hoje presente aos juízes de instrução do tribunal de Grenoble, depois de ter confessado ter matado a lusodescendente Maëlys de Araújo "involuntariamente" e de se ter remetido ao silêncio na audiência de 22 de fevereiro.

De acordo com o jornal Le Parisien de 15 de março, as autoridades recolheram mais uma prova da presença da menina de nove anos na residência da família de Lelandais, em Domessin, a pouco mais de 70 quilómetros de Lyon, que poderá ajudar a perceber as circunstâncias da morte da lusodescendente.

Os investigadores analisaram a casa do ex-militar, de 34 anos, incidindo atenção especial no sofá da sala e na garagem, usada para depósito de materiais.

Maëlys desapareceu a 27 de agosto do ano passado em Pont-de-Beauvoisin, no leste de França.

Lelandais foi detido em 31 de agosto e foi formalmente acusado do homicídio da lusodescendente.

A 14 de fevereiro, indicou à polícia o local onde enterrou os restos mortais da criança, tendo sido encontrado "quase todo o esqueleto", segundo o procurador de Grenoble, Jean-Yves Coquillard. Dois dias depois, foi hospitalizado no Centro Hospitalar de Vinatier, numa unidade que recebe pessoas em detenção.

Nordahl Lelandais, cujo perfil psicológico continua a confundir os investigadores, é o principal suspeito de um outro homicídio, o do cabo Arthur Noyer, ocorrido em abril passado naquela mesma região, em Chambéry.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)