Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Honduras decreta estado de excepção após denúncia de fraude eleitoral

Rumores de fraude nas eleições presidenciais de domingo passado provocaram uma vaga de protestos violentos.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 2 de Dezembro de 2017 às 18:33
Juan Orlando Hernández
Juan Orlando Hernández FOTO: Reuters

O presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, decretou na madrugada deste sábado, horário local, estado de excepção e toque de recolher obrigatório naquele país da América Central, após rumores de fraude nas eleições presidenciais de domingo passado, 26, terem provocado uma vaga de protestos violentos. De acordo com um balanço provisório, pelo menos uma pessoa morreu nos protestos, dezenas ficaram feridas, entre elas membros das forças de segurança, e mais de 100 manifestantes foram presos.

Segundo o porta-voz do governo, ministro Ebal Díaz, o estado de excepção, com validade inicial por 10 dias, restringe as liberdades individuais e permitirá às Forças Armadas e à polícia uma acção mais enérgica contra os actos de vandalismo que tomaram conta do país depois das denúncias de irregularidades nas presidenciais. O toque de recolher, com validade pelo mesmo periodo, impede a circulação de qualquer pessoa nas ruas do país entre as 18 horas de um dia e as 6 da manhã do dia seguinte.

A decretação das medidas excepcionais ocorreu quando estavam apuradas 94,35% das urnas, que davam nessa altura ligeira vantagem ao presidente Juan Orlando Hernández, candidato à reeleição. Pelos números apurados até aí, Hernandez tinha 42,92%, contra 41,42% do opositor e estrela da televisão do país, Salvador Nasralla.

Os protestos e os actos de vandalismo começaram terça-feira depois de, com cerca de 50% das urnas apuradas, ter havido uma inesperada mudança na tendência do vencedor. Segunda-feira, 27, quando metade das urnas estavam apuradas, o oposicionista Nasralla liderava a disputa, com cerca de cinco pontos a mais do que o presidente, mas, na terça, após quase 24 horas de interrupção na apuração, Hernández surgiu inesperadamente na dianteira e manteve uma pequena vantagem até esta sexta-feira.

David Matamoros, presidente da corte eleitoral, tinha prometido que os resultados finais das presidenciais seriam anunciados na noite desta sexta, mas isso não aconteceu. Em vez disso, Matamoros informou que 1031 urnas em que a oposição denunciou que presumivelmente teria havido algum tipo de irregularidade iriam ser recontadas manualmente, mas não deu prazo para o anúncio oficial do resultado final das presidenciais.

Honduras fraude eleições feridos violência
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)