Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Ídolo de Bollywood ligado a terroristas

Sanjay Butt, um dos maiores ídolos do cinema indiano, foi ontem condenado a seis anos de cadeia por ligações aos terroristas que em 1993 levaram a cabo os atentados de Bombaim, que mataram 257 pessoas e são considerados os piores de sempre na Índia.
1 de Agosto de 2007 às 00:00
Sanjay Butt admitiu ter comprado armas aos terroristas envolvidos nos atentados de Bombaim
Sanjay Butt admitiu ter comprado armas aos terroristas envolvidos nos atentados de Bombaim FOTO: Punit Paranjpe / Reuters
Apesar de ter ilibado Butt de envolvimento na preparação dos atentados, o tribunal considerou-o culpado de ter adquirido armas ilegais a membros do grupo criminoso que levou a cabo os ataques, e não teve contemplações: condenou a popular estrela de Bollywood a seis anos de cadeia, desferindo um rude golpe não apenas na carreira do actor, mas também na gigantesca indústria do cinema indiano, uma vez que Butt estava envolvido em vários projectos.
O actor pediu clemência várias vezes, afirmando que apenas comprou as armas para proteger a sua família durante os motins religiosos que assolavam o país. Os seus advogados já garantiram que tencionam apresentar recurso da sentença.
PAÍS PARADO
O julgamento paralisou a Índia, onde Butt é um dos dez actores masculinos mais populares, e atraiu mais atenções que o julgamento dos restantes envolvidos nos atentados.
No total foram condenadas cerca de uma centena de pessoas, tendo os 12 principais implicados sido condenados à morte. Outras vinte pessoas foram condenadas a prisão perpétua.
Os ataques tiverem como alvo locais movimentados de Bombaim (actual Mumbay), como a Bolsa e os escritórios da companhia aérea Air India. O ‘cérebro’ dos atentados, o líder do submundo Dawood Ibrahim, nunca foi capturado. Segundo as autoridades, Ibrahim, que é muçulmano, ordenou os ataques para vingar a destruição da mesquita de Ayodhya por fanáticos hindus, no ano anterior.
MONICA E ABU ESTIVERAM EM PORTUGAL
A condenação do actor Sanjay Butt por ligações aos autores dos atentados de Bombaim traz à memória o caso da actriz indiana Monica Bedi, ex-mulher do terrorista indiano Abu Salem, a qual foi extraditada para a Índia em 11 de Novembro de 2005. Após a extradição para o seu país, Monica Bedi ficou presa na cadeia de Chanchalguda. Recorde- -se que Monica, de 29 anos, pediu asilo a Portugal, alegando ter medo de ser perseguida na Índia, devido às ligações com Abu Salem, que foi extraditado juntamente com ela. O jornal ‘The Times of India’ ligou mesmo Monica Bedi à detenção do marido, em Lisboa. Esta terá ajudado a polícia a capturar um dos homens mais procurados da Índia.
Ver comentários