Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Idoso com cancro terminal espera sete horas deitado à chuva por ambulância

Vítima não foi imediatamente socorrida apesar de viver do outro lado da rua onde fica um hospital.
Correio da Manhã 7 de Dezembro de 2022 às 10:56
Keith Royles estava a cortar a relva da sua residência, quando sofreu um acidente e partiu a anca
Keith Royles estava a cortar a relva da sua residência, quando sofreu um acidente e partiu a anca FOTO: DR/Twitter
Um idoso de 85 anos foi forçado a deitar-se à chuva enquanto esperava que chegasse uma ambulância, depois de ter partido a anca, e apesar de viver do outro lado da rua onde fica um hospital.

Keith Royles estava a cortar a relva da sua residência, quando sofreu um acidente e partiu a anca, em Bodelwyddan, no nordeste do País de Gales. Apesar de viver muito próximo de um hospital, o idoso foi deixado deitado na rua, à chuva, durante sete horas, à espera que chegasse uma ambulância.

"Ligámos para o hospital e pedimos uma ambulância mas foi-nos dito que havia uma espera de quatro a sete horas", disse uma das filhas de Keith ao jornal britânico Mirror. "Ligámos várias vezes e a minha irmã até acenou para os técnicos de uma das ambulâncias mas eles disseram que não podiam ajudar", refere, relembrando que o Hospital de Ysbyty Glan Clwyd fica do outro lado da rua onde vive o idoso.

No entanto, quando os paramédicos chegaram, após uma espera agonizante, Keith foi informado de que não seria levado para o hospital próximo, mas sim para uma unidade a 48 quilómetros. Em causa estaria a sobrelotação do hospital local, refere o Mirror.

A família do idoso não aceitou e exigiu que o mesmo fosse levado para a unidade mais próxima, uma vez que sofre de um cancro terminal. 
Keith Royles Mirror saúde questões sociais
Ver comentários
C-Studio