Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Igreja contra embriões híbridos

O Vaticano condenou a decisão tomada pelas autoridades do Reino Unido de autorizar a criação de embriões híbridos, classificando-a como “monstruosa”.
10 de Setembro de 2007 às 00:00
Elio Sgreccia, presidente da Academia Pontifical para a Vida, considera que criar embriões híbridos, gerados a partir da integração de material humano em óvulo animal, é, além de um acto “monstruoso”, uma atitude que “atenta contra a dignidade humana”.
O dirigente do Vaticano deixou também um apelo à comunidade científica para que se “mobilize o mais rapidamente possível contra a decisão que acredita ter sido tomada “diante de pedidos imorais de um grupo de cientistas”.
A Autoridade Britânica de Fertilidade Humana e Embriologia (HFEA) deu, na passada quarta-feira, a sua aprovação “de princípio” à polémica criação de embriões híbridos.
Esta decisão da HFEA deve-se sobretudo à necessidade de superar a falta de material humano destinado à clonagem de embriões com fins terapêuticos, que é permitida no Reino Unido, ao contrário de outros países.
O Vaticano sempre se opôs a qualquer tipo de manipulação de embriões, por considerá-los seres humanos sob qualquer circunstância, alegando que o avanço científico não pode ocorrer à custa de seres humanos.
Ver comentários