Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Inédita coexistência de dois Papas começou há um ano

Porta-voz de Bento XVI garante que Papa emérito não vive isolado no Vaticano um ano após de ter renunciado.
11 de Fevereiro de 2014 às 08:44
Papa emérito Bento XVI (à esquerda) e Papa Francisco
Papa emérito Bento XVI (à esquerda) e Papa Francisco FOTO: Getty Images

Um ano depois da renúncia, o Papa emérito Bento XVI "não vive isolado" no Vaticano e transmite "uma impressão de grande serenidade espiritual", afirmou esta terça-feira o porta-voz, Federico Lombardi.

A coabitação inédita de um Papa em exercício e um Papa emérito levou alguns observadores a prever uma tensão surda e um peso adicional para Francisco, mas os dois homens parecem ter encontrado um bom modo de convivência. Bento XVI tinha prometido manter-se afastado dos assuntos do sucessor, eleito a 13 de março de 2013.

Lombardi destacou "a solidariedade espiritual entre os dois Papas, pois ambos procuram o bem para o povo de Deus".

"Uma relação normal e de solidariedade", disse, lembrando que Francico e Bento XVI mantiveram vários encontros e que "um já foi a casa do outro e vice-versa", além de manterem contacto por telefone ou mensagens.

Joseph Ratzinger, de 86 anos, "vive de modo discreto, sem dimensão pública, mas isso não quer dizer que viva isolado", garantiu à Rádio Vaticano o padre jesuíta, fiel porta-voz do Papa alemão durante os oito anos de pontificado.

A vida quotidiana no mosteiro preparado especialmente para Bento XVI, na residência 'Mater Ecclesiae', no Vaticano, é feita "de oração, reflexão, leitura, escrita, no sentido em que responde à correspondência recebida, encontros com pessoas próximas, com as quais pensa ser útil dialogar, que lhe pedem conselhos ou proximidade espiritual", explicou Lombardi.

CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA OS 10 SEGREDOS
DO SUCESSO DO PAPA FRANCISCO

Igreja Católica Papas Porta-voz de Bento XVI Papa emérito Vaticano renúncia Papa Francisco
Ver comentários