Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

IRA desmantelou todo o seu arsenal

A comissão internacional encarregada de supervisionar o desarmamento dos grupos armados da Irlanda do Norte anunciou ontem que o IRA desmantelou “a totalidade do seu arsenal”, conforme prometido há dois meses. Mas os protestantes já manifestaram dúvidas devido à ausência de provas.
27 de Setembro de 2005 às 00:00
IRA desmantelou todo o seu arsenal
IRA desmantelou todo o seu arsenal FOTO: Paul McEarlane (EPA)
“As armas desmanteladas representam a totalidade do arsenal do IRA”, assegurou o general canadiano John de Chastelain, chefe da Comissão Internacional de Desarmamento que acompanhou a par e passo a destruição do arsenal do IRA.
De Chastelain recusou adiantar números, mas afirmou que entre as armas desmanteladas estavam incluídas pistolas, espingardas de assalto, metralhadoras ligeiras e pesadas, lança-rockets, explosivos e munições. As conclusões da comissão liderada pelo general canadiano foram corroboradas por duas testemunhas, os padres Alex Reid (católico) e Harold Good (metodista).
“A liderança do IRA confirma que o processo de inutilização do seu arsenal está terminado”, afirmou, por seu lado, o grupo terrorista num comunicado.
O IRA, que tinha um dos maiores arsenais clandestinos da Europa, anunciou em Julho o fim da luta armada e a intenção de destruir todo o arsenal. No entanto, e para convencer os inimigos políticos de que a violência é coisa do passado, o grupo precisa agora de acabar com as acções criminosas e ‘espancamentos punitivos’ nas áreas nacionalistas.
O líder unionista (protestante) do Ulster, reverendo Ian Paisley, já manifestou sérias dúvidas quanto ao real desarmamento do IRA e criticou duramente todo o secretismo em redor do processo de desarmamento. “Não sabemos quantas armas foram desmanteladas, quantas munições ou quantos explosivos foram inutilizados. Nem nos disseram de que forma foi feito o desmantelamento dessas armas”, acusou Paisley, fazendo eco das dúvidas manifestadas por outros representantes unionistas, que criticaram o general de Chastelain por não ter apresentado fotografias, vídeos ou outras provas do desmantelamento do arsenal do IRA.
Apesar de tudo, o anúncio foi considerado um passo importante para a paz no Ulster e poderá abrir caminho, a longo prazo, à reactivação da paralisada Assembleia da Irlanda do Norte.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)