Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Irão nega envolvimento no ataque ao escritor Salman Rushdie

Autor foi atacado na passada sexta-feira, em Nova Iorque. Principal suspeito, Hadi Matar, já negou a tentativa de homicídio.
Correio da Manhã 15 de Agosto de 2022 às 08:19
Escritor foi esfaqueado dez vezes, no pescoço, braço e abdómen. O agressor, Hadi Matar, de 24 anos, declarou-se inocente no tribunal
Escritor foi esfaqueado dez vezes, no pescoço, braço e abdómen. O agressor, Hadi Matar, de 24 anos, declarou-se inocente no tribunal FOTO: CHARLES SAVENOR/LOCAL NEWS X_TMX / REUTERS
O Irão descartou esta segunda-feira qualquer responsabilidade no ataque a Salman Rushdie, considerando que os apoiantes do escritor "são os culpados pelo que lhe aconteceu" depois do autor ter sido esfaqueado durante um evento na passada sexta-feira, em Nova Iorque, nos EUA.

"Ninguém tem o direito de acusar o Irão a este respeito", revelou um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, citado pela AP, naquelas que são as primeiras declarações do país após o ataque.

Recorde-se que o autor do livro "Os Versículos Satânicos" foi atacado em palco no momento em que se preparava para fazer uma intervenção numa palestra. Foi assistido de imediato no local e transportado depois de helicóptero para o hospital onde foi submetido a uma longa cirurgia. Foi retirado do ventilador este sábado.

O suspeito, Hadi Matar, foi detido ainda no local do ataque, tendo já negado a tentativa de assassinato.

Em 1988, Salman Rushdie publicou ‘Os Versículos Satânicos’, recebido por alguns como um insulto à religião muçulmana. O líder iraniano de então, o aiatola Khomeini, ordenou uma ‘fatwa’ (decisão jurídica baseada na lei islâmica), pedindo a morte do escritor e prometendo 3 milhões de dólares a quem o matasse.
Ver comentários