Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Irão responde com novas ameaças

O Irão respondeu ontem com novas ameaças à aprovação pela UE de um embargo total às suas exportações de petróleo. Além da já conhecida ameaça de fechar o Estreito de Ormuz, o regime de Teerão admite antecipar o fecho da torneira do petróleo, afectando seriamente as debilitadas economias da Grécia e de Itália.
24 de Janeiro de 2012 às 01:00
Mahmoud Ahmadinejad é o presidente do Irão
Mahmoud Ahmadinejad é o presidente do Irão FOTO: DR

As sanções aprovadas ontem em Bruxelas pelos ministros dos Negócios Estrangeiros da UE determinam a proibição total de importação de crude e produtos petrolíferos do Irão a partir de 1 de Julho. Este ‘período de graça’ visa permitir a resolução dos contratos em curso e dar tempo a países como Itália e Grécia, que compram a maior parte do seu petróleo ao Irão, para encontrar alternativas. É nesse sentido que surge a nova ameaça iraniana de cortar já o fornecimento, o que, a cumprir-se, deixará Roma e Atenas em graves dificuldades. O Irão considerou ainda as sanções como "terrorismo psicológico", e reiterou a antiga ameaça. "Se as nossas exportações forem afectadas, o Estreito será mesmo fechado", garantiu o deputado iraniano Mohmam-med Kossari.

Para o MNE português, Paulo Portas, as sanções "visam tornar explícito" que a União Europeia "não aceita o incumprimento de compromissos".

Irão golfo pérsico UE
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)